CoDAS
http://www.codas.periodikos.com.br/article/doipath/10.1590/2317-1782/20192017097
CoDAS
Artigo Original

Access to speech-language pathology therapy and continuity of assistance in Primary Health Care for victims of motorcycle accidents

Acesso à reabilitação fonoaudiológica e a continuidade do cuidado pela Atenção Primária em Saúde para vítimas de acidente de motocicleta

Maria Gabriella Pacheco da Silva; Vanessa de Lima Silva; Cynthia Maria Barboza do Nascimento; Mirella Bezerra Rodrigues Vilela; Maria Luiza Lopes Timóteo de Lima

Downloads: 0
Views: 67

Abstract

Purpose: To verify the access to speech-language pathology (SLP) therapy and continuity of assistance in Primary Health Care (PHC) for victims of motorcycle accidents. Methods: A quantitative and qualitative study was conducted at a large hospital in the city of Recife, Pernanbuco state, Brazil. Among the 99 victims recruited between June and July 2014, 30 had SLP complaints as a result of the accidents. After hospital discharge, all victims were contacted for investigation of the SLP rehabilitation process. Absolute and relative frequencies were used for the analysis in PHC, and data were displayed in tables for the therapy cases. Results: Among the 30 individuals who reported having alterations of the stomatognathic system, eight were undergoing rehabilitation and 18 reported residing in an area covered by the Family Health Strategy (primary care modality). Seeking and obtaining continuity of treatment (medication and bandaging) in primary care were frequent; in contrast, home visits were less frequent. The main obstacles to access SLP therapy were distance to the service and waiting time to begin treatment. Conclusion: This study identified obstacles that hamper access to SLP therapy in PHC, such as the low frequency of home visits, contributing to the fragmentation of continuous and complete care for victims.

Keywords

Speech, Language and Hearing Sciences; Primary Health Care; Rehabilitation; Accidents; Motorcycles

Resumo

Objetivo: Verificar o acesso à reabilitação fonoaudiológica e a continuidade do cuidado pela Atenção Primária à Saúde em vítimas de acidente de motocicleta. Método: Trata-se de estudo realizado em um hospital de grande porte localizado em Recife-Pernambuco, recrutado entre o período de junho e julho de 2014. Após a alta hospitalar todos foram contatados para investigação do processo de reabilitação fonoaudiológica. Para o estudo na Atenção Primária à Saúde, foram utilizadas medidas de frequência absoluta e relativa. Já os casos em reabilitação foram descritos através de quadros. Resultados: Foi verificado que 99 indivíduos foram vítimas de acidentes por motocicletas no período estudado. Desses, 30 entrevistados referiram ter essas queixas de alteração no sistema estomatognático, dos quais 8 estavam em reabilitação e 18 referiram residir em área adstrita a Unidade de Saúde da Família. Os principais obstáculos para o acesso à fonoterapia apontados foram a distância aos serviços de Fonoaudiologia e o tempo de espera para início do tratamento. Um dos aspectos relacionados à continuidade do cuidado pela Atenção Primária à Saúde, como a busca e obtenção de insumos, foi visto como frequente. Ao contrário da visita domiciliar, menos frequente. Conclusão: Foram identificados obstáculos que dificultaram o acesso à fonoterapia, assim como fragilidades nos cuidados dispensados pela Atenção Primária, como a visita domiciliar, contribuindo para a fragmentação do cuidado contínuo e integral às vítimas.

Palavras-chave

Fonoaudiologi;  Atenção Primária à Saúde; Reabilitação; Acidentes; Motocicletas.

Referências

1 Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM. Brasília: Datasus; 2017. [citado em 2017 Fev 1]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/ext10uf.def [ Links ]

2 Koizumi MS. Natureza das lesões nas vítimas de acidentes de motocicleta [tese]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 1990. [ Links ]

3 Brasil. Portaria MS/GM nº 737 de 16 de maio 2001. Institui a Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências. Diário Oficial da União; Brasília; 16 maio 2001. [ Links ]

4 Brasil. Portaria Nº 793, de 24 de Abril de 2012. Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União; Brasília; 24 abril 2012. [ Links ]

5 Minayo MCS, Deslandes SF. Análise da implantação da rede de atenção às vítimas de acidentes e violências segundo diretrizes da Política Nacional de Redução da Morbimortalidade sobre Violência e Saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2009;14(5):1641-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000500002. PMid:19851573. [ Links ]

6 Donabedian A. Los espacios de la salud: aspectos fundamentales de la organización de la atención médica. México: Editora Biblioteca de la Salud; 1988. [ Links ]

7 Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos de atenção básica: diretrizes do NASF. Brasília: Secretaria de Atenção à Saúde; Departamento de Atenção Básica; 2009. [ Links ]

8 Lima TFP, Acioli RM. A inserção da Fonoaudiologia na Atenção Primária do Sistema Único de Saúde. In: Silva VL, Lima MLLT, Lima TFP, Advíncula KP, editores. A prática fonoaudiológica na atenção primária à saúde. São José dos Campos: Pulso Editorial; 2013. p. 25-42. [ Links ]

9 Bianchini EMG, Mangili LD, Marzotto SR, Nazário D. Pacientes acometidos por trauma de face: caracterização, aplicabilidade e resultados do tratamento fonoaudiológico específico. Rev CEFAC. 2004;6(4):388-95. [ Links ]

10 Almeida C, Macinko J. Validação de uma metodologia de avaliação rápida das características organizacionais e do desempenho dos serviços de atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) em nível local. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2006. [ Links ]

11 Sanchez RM, Ciconelli RM. Conceitos de acesso à Saúde. Ver Panam Salud Publica. 2012;31(3):260-8. http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892012000300012. [ Links ]

12 Zwicker D, Picariello G. Discharge planning for the older adult. EUA: National Guideline Clearinghouse; 2003. [ Links ]

13 Rodrigues NB, Gimenes CM, Lopes CM, Rodrigues JMS. Mortes, lesões e padrão das vítimas em acidentes de trânsito com ciclomotores no município de Sorocaba, São Paulo, Brasil. Rev Fac Cienc Med. 2010;12(3):21-5. [ Links ]

14 Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM. Brasília: Datasus; 2017 [2017 fev 01]. Disponível em: <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/ext10uf.def [ Links ]

15 Calil AM, Sallum EA, Domingues CA, Nogueira S. Mapeamento das lesões em vítimas de acidentes de trânsito: revisão sistemática da literatura. Rev Lat Am Enfermagem. 2009;17(1):120-5. PMid:19377817. [ Links ]

16 Soberg HL, Roise O, Bautz-Holter E, Finset A. Returning to work after severe multiple injuries multidimensional factoring and the trajectory from injury to work at 5 years. J Trauma. 2011;71(2):425-34. http://dx.doi.org/10.1097/TA.0b013e3181eff54f. PMid:21045746. [ Links ]

17 Duarte ML, Costa VHF, Mota LS. Avaliação da trajetória, no SUS, de pacientes atendidos na clínica cirúrgica de um serviço de emergência a partir de seus diagnósticos histopatológicos. Rev Brasileira de Medicina da Família e Comunidade. 2008;4(15):157-64. http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc4(15)167. [ Links ]

18 Cunha EM, Giovanella L. Longitudinalidade/continuidade do cuidado: identificando dimensões e variáveis para a avaliação da Atenção Primária no contexto do sistema público de saúde brasileiro. Ciênc Saúde Coletiva. 2011;16(Suppl 1):1029-42. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700036. PMid:21503452. [ Links ]

19 Azeredo CM, Cotta RM, Schott M, Maia TM, Marques ES. Avaliação das condições de habitação e saneamento:a importância da visita domiciliar no contexto do Programa de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(3):743-53. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000300025. PMid:17680132. [ Links ]

20 Santos JS, Borges ACL, Alves VS. Visita domiciliária na atenção a usuários de álcool e outras drogas no município de Santo Antônio de Jesus-BA. Extramuros. 2014;2(2):27-35. [ Links ]

21 Caprara A, Rodrigues J. A relação assimétrica médico-paciente: repensando o vínculo terapêutico. Cien Saude Colet. 2004;9(1):139-46. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232004000100014. [ Links ]

22 Mendes VLF. (a) Fonoaudiologia, atenção básica e saúde da família. In: Fernandes FDM, Mendes BCA, Navas ALPGP, organizadores. Tratado de Fonoaudiologia. 2. ed: São Paulo: Roca; 2009. p. 612-8. [ Links ]

23 Remoaldo PC, Costa ME. Equidade no acesso aos cuidados de saúde - Resultados de dois inquéritos realizados à população. In: Colóquio Internacional de Saúde - Saúde e Discriminação Social; 2002 Fev 22-23; Braga. Actas. Braga: Instituto de Ciências da Saúde; Universidade do Minho; 2002. p. 71-90. [ Links ]

24 Brasil. Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde – CNES. Brasília: Datasus; 2017. [citado em 2016 Out 1]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?cnes/cnv/prid02pe.def [ Links ]

25 Travassos C. Fórum: equidade no acesso aos serviços de saúde. Cad Saude Publica. 2008;24(5):1159-61. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000500023. PMid:18461245. [ Links ]


Submetido em:
22/06/2018

Aceito em:
07/05/2019

5e2241300e8825d1706d0101 codas Articles

CoDAS

Share this page
Page Sections