CoDAS
http://www.codas.periodikos.com.br/article/doipath/10.1590/2317-1782/20192018121
CoDAS
Relato de Caso

Apraxia de fala e atraso de linguagem: a complexidade do diagnóstico e tratamento em quadros sintomáticos de crianças

Apraxia of speech and language delay: the complexity of diagnosis and treatment of symptomatic children

Melissa Catrini, Maria Francisca Lier-DeVitto

Downloads: 0
Views: 13

Resumo

Define-se apraxia de fala como a inabilidade de sequenciar os movimentos necessários a uma produção articulatória acurada, cuja explicação, tradicionalmente, é remetida a um déficit na programação motora da fala. Não é infrequente que clínicos de linguagem se defrontem com casos clínicos em que a inconsistência da fala coloca questões quanto ao diagnóstico diferencial entre apraxia e quadros considerados de linguagem. O reflexo desse impasse é observado na dificuldade em estabelecer uma direção de tratamento adequada ao problema apresentado. Neste trabalho, apresentamos o relato de um caso clínico em que tanto o diagnóstico quanto o tratamento mobilizam discussões a respeito da condição apráxica de fala na infância. Nas apraxias, partimos do reconhecimento de que o corpo colocado em evidência é aquele que ultrapassa sua configuração puramente orgânica. Consequências clínicas são retiradas da premissa de que o corpo humano é aquele cuja orelha pode escutar e a boca, falar, ou seja, é estrutura orgânica posta a funcionar de maneira especial pela incidência da música da linguagem a invocar o corpo falante.

Palavras-chave

Apraxia; Corpo; Linguagem; Música da Língua; Terapia de Linguagem

Abstract

Apraxia of speech is defined as the inability to sequence the movements required for accurate articulatory production, traditionally involving a deficit in speech motor programming. Language clinicians often confront about speech inconsistency clinical cases, which raise questions concerning the differential diagnosis between apraxia and language disorders. Such problem often results in the difficulty to establish an adequate treatment decision. In this work, we discuss a clinical report in which both diagnosis and treatment raise questions about the apraxic speech condition in childhood. We start from the recognition that, in apraxia, it seems imperative to consider that the body to be considered is the one that surpasses its organic functions and structure. Clinical consequences are drawn from the premise that the human body is one whose ear can listen, and mouth can speak, i.e., the organic structure is a material realm open to the incidence of language and its “music”, which creates the speaking body

Keywords

Apraxia; Body; Language; Language Music; Language Therapy

Referências

Catrini M. Apraxia sobre a complexa relação entre corpo e linguagem [tese]. São Paulo (SP): Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2011.

Shriberg LD, Strand EA, Fourakis M, Jakielski KJ, Hall SD, Karlsson HB, et al. A diagnostic marker to discriminate childhood apraxia of speech from speech delay: introduction. J Speech Lang Hear Res. 2017;60(4):S1094- 5. http://dx.doi.org/10.1044/2016_JSLHR-S-16-0148. PMid:28384695.

 Catrini M, Lier-DeVitto F, Arantes LMG. Apraxias: considerações sobre o corpo e suas manifestações motoras inesperadas. Cad Est Ling. 2015;57(2):119-29. http://dx.doi.org/10.20396/cel.v57i2.8642396. 

Freud S. Estudio comparativo de las paralises motrices orgânicas e histéricas. In: Freud S. Obras completas. Vol. 1. Buenos Aires: Editorial Ateneo; 2005. p. 13-21.

 Lier-De Vitto MF. Os monólogos da criança: delírios da Língua. São Paulo: EDUCFAPESP; 1998

 Saussure F. Curso de linguística geral. São Paulo: Editora Cultrix; 1991. 

Fontaine A. A implantação significante no corpo. Literal. 2002;5:145-68.

Vasconcellos R. Fala, escuta e escrita nas produções de uma criança com Paralisia Cerebral. In: Lier-Devitto MF, Arantes L, organizadores. Aquisição, patologias e clínicas de linguagem. São Paulo: Educ/Pucsp; 2006. p. 227-34.

Bergés J. O corpo e o olhar do Outro. In: Bergés J. Escritos da criança. 2. ed. Porto Alegre: Centro Lydia Coriat; 1997. n. 2, p. 51-65.

 Bergés J. O corpo na Neurologia e na Psicanálise: lições clínicas de um psicanalista de crianças. Porto Alegre: CMC Editora; 2008.

 Lemos C. Das vicissitudes da fala da criança e de sua investigação. Cad Est Ling. 2002;42:41-69. https://doi.org/10.20396/cel.v42i0.8637140.

Chemama R. Outro. In: Chemama R, Vandermersch B. Dicionário de psicanálise. São Leopoldo: Editora Sinos; 2007. p. 282-283.

 Didier-Weill A. Invocações: Dionísio, Moisés, São Paulo e Freud. Rio de Janeiro: Companhia de Freud; 1999.

 Milner JC. O amor da língua. Porto Alegre: Artes Médicas; 1987.

Ferreira MT. Como a palavra é tomada no corpo? Literal. 2006;9:33-48.


Submetido em:
06/06/2018

Aceito em:
17/12/2018

5dbe2a8c0e88251e17ce51ae codas Articles

CoDAS

Share this page
Page Sections