CoDAS
http://www.codas.periodikos.com.br/article/doipath/10.1590/2317-1782/20202019102
CoDAS
Artigo Original

The role of speech-language therapists in primary healthcare from the perspective of professionals in family health support centers

Atuação fonoaudiológica na atenção básica na perspectiva de profissionais dos núcleos de apoio à saúde da família

Suelen Bernardo Guckert; Carolina Rogel de Souza; Aline Megumi Arakawa-Belaunde

Downloads: 0
Views: 26

Abstract

Purpose: To analyze the perception of professionals constituting Family Health Support Centers (FHSC) of a capital in the South Region of Brazil regarding the role of speech-language therapy professionals in primary care (PC). Method: This is a qualitative, observational cross-sectional study. All professionals constituting the FHSC who voluntarily agreed to collaborate with the research participated in this study. A semi-structured questionnaire was applied containing information about the professional profile and activities developed in PC. Results: Health professionals perform actions that would allow for the joint participation of speech-language therapy professionals, since this category is not contemplated in the staff members that constitute the municipality team analyzed. According to the questionnaire, referrals to speech-language therapy professionals are mainly related children issues with speech and language. Little knowledge on the contribution of speech-language sciences regarding interdisciplinary actions was found. Conclusion: The participants of this study demonstrated a reductionist perception regarding speech-language sciences in PC. In addition, the actions performed by the professionals of this study are directed towards what the speech-language professional could contribute instead. Further studies could demonstrate the benefits that speech-language professionals can provide to the activities performed.

Keywords

Health Promotion, Speech-Language Sciences, Primary Health Care, Family Health, Health Personnel

Resumo

Objetivo: Analisar a percepção dos profissionais que compõem os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) de uma capital da região sul do País, sobre a atuação do fonoaudiólogo na atenção básica (AB). Método: Trata-se de um estudo qualitativo, observacional transversal. Participaram da presente pesquisa todos os profissionais do quadro do NASF que aceitaram voluntariamente colaborar com a pesquisa. Aplicou-se um questionário semiestruturado contendo informações sobre o perfil profissional e suas atividades desenvolvidas na AB. Resultados: Os profissionais de saúde realizam ações que possibilitariam a participação conjunta do fonoaudiólogo, porém, essa especialidade não está contemplada no quadro de profissionais que integram as equipes do município estudado. De acordo com o questionário, os encaminhamentos para a fonoaudiologia acontecem principalmente em assuntos relacionados à fala e linguagem infantil. Percebe-se pouco conhecimento acerca da contribuição fonoaudiológica no que diz respeito às ações interdisciplinares. Conclusão: Os participantes deste estudo demonstraram uma percepção reducionista no que diz respeito à atuação fonoaudiológica na AB. Além disso, as ações realizadas por estes profissionais direcionam-se àquelas que o fonoaudiólogo poderia contribuir. Sugere-se que próximos estudos possam demonstrar os benefícios que o fonoaudiólogo pode levar para as atividades realizadas.

Palavras-chave

Promoção da saúde, Fonoaudiologia, Atenção Básica, Saúde da Família, Pessoal de Saúde

Referências

Rodrigues PHA. Desafios políticos para a consolidação do Sistema Único de Saúde: uma abordagem histórica. Hist Cienc Saude Manguinhos. 2014;21(1):37-60.

Zanin LE, Albuquerque IMN, Melo DH. Speech, language and hearing sciences and the family health strategy: implication of structural dimension in the quality of speech, language and hearing care. ACR. 2015;20(3):255-61.

Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). 2017.

Nascimento CL, Nakamura HY. Fonoaudiologia no Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo. Rev Distúrb Comum. 2018;30(1):179-85.

Soleman C, Martins CL. The work of speech therapists under support centers for family health (FHSC) - specificities of primary care. Rev CEFAC. 2015;17(4):1241-52.

Andrade AF, Lima MM, Monteiro NP, Silva VL. Avaliação das ações da Fonoaudiologia no NASF da cidade do Recife. ACR. 2014;19(1):52-60.

Malta DC, Reis AAC, Jaime PC, Neto OLM, Silva MMA, Akerman M. O SUS e a Política Nacional de Promoção da Saúde: perspectiva resultados, avanços e desafios em tempos de crise. Rev Ciênc Saúde Colet.. 2018;23(6):1799-809.

Política Nacional de Promoção da Saúde: PNaPS: revisão da Portaria MS/GM n. 687, de 30 de março de 2006 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância à Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. 2014.

Cabrera MFB, Eliassen ES, Arakawa-Belaunde AM. Fonoaudiologia e promoção da saúde: revisão integrativa. Revista Baiana de Saúde Pública. 2018;42(1):21.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 2008.

Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. 2016.

Barros JO, Gonçalves RMA, Kaltner RP, Lancman S. Estratégia do apoio matricial: a experiência de duas equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) da cidade de São Paulo, Brasil. Rev Ciênc Saúde Colet.. 2015;20(9):28-47.

Reis ML, Medeiros M, Pacheco LR, Caixeta CC. Evaluation of the multiprofessional work of the Family Health Support Center (FHSC). Texto & Contexto de Enfermagem. 2016;25(1).

Giulio RMD, Chun RYS. Impacto da afasia na perspectiva do cuidador. Rev Distúrb Comum.. 2014;26(3):541-9.

Sarti TD, Feuerwerker LCM. Saúde da família em análise: estudo de caso sobre a produção da atenção à saúde de pessoas com diabetes mellitus tipo 2. Revista saúde em redes. 2018;4:55-73.

Núcleo de Apoio à Saúde da Família - Volume I: Ferramentas para a gestão e para o trabalho cotidiano. Cadernos de Atenção Básica, n. 39. 2014:116.

Viégas LHT, Meira TC, Santos BS, Mise YF, Arce VAR, Ferrite S. Fonoaudiologia na Atenção Básica no Brasil: análise da oferta e estimativa do déficit, 2005-2015. Revista CEFAC. 2018;20(3):353-62.

Campos GWS, Domitti AC. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad Saúde Pública. 2007;23(2):399-407.

Cunha GT, Campos GWS. Apoio matricial e atenção primária em saúde. Saúde Soc. 2011;20(4):961-70.

Pizolato RA, Fonseca LMM, Bastos RS, Fernandes AY, Lefévre F, Maximino LP. Vigilância do desenvolvimento da linguagem da criança: conhecimentos e práticas de profissionais da atenção básica à saúde. Rev CEFAC. 2016;18(5):1109-20.

Wagner J, Bonamigo AW, Oliveira F, Machado MS. Monitoramento da audição e da linguagem na atenção primária à saúde: projeto piloto. Rev Ciênc Saúde Colet.. 2017;22(11):3599-06.

Ferreira TPS, Sampaio J, Souza ACN, Oliveira DL, Gomes LB. Produção do cuidado em Saúde Mental: desafios para além dos muros institucionais. Interface - Comunicação, Saúde, Educação. 2017;21(61):373-84.

Silva DAJ, Tavares MFL. Ação intersetorial: potencialidades e dificuldades do trabalho em equipes da Estratégia Saúde da Família na cidade do Rio de Janeiro. Saúde Debate. 2016;40(111):193-05.

Freitas CS, Kocourek S, Vey APZ, Foletto HM. Motivação de usuários de uma estratégia de saúde da família em grupos de saúde. Revista Brasileira em promoção da Saúde. 2015;28(4):496-503.

Nogueira ALG, Munari DB, Fortuna CM, Santos LF. Pistas para potencializar grupos na Atenção primária à Saúde. Rev Bras Enferm. 2016;69(5):907-14.

Menezes KKP, Avelino PR. Grupos operativos na Atenção primária à Saúde como prática de discussão e educação: uma revisão. Cad. Saúde Colet. 2016;24(1):124-30.

Santana ADM, Vasconcellos LS, Ribeiro MP. Grupo de tabagismo: uma abordagem interdisciplinar. Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia. 2017;4(8).

Ferrari TK, Cesar CLG, Alves MCGP, Barros MBA, Goldbaum M, Fisberg RM. Estilo de vida saudável em São Paulo, Brasil. Cad de Saúde Pública. 2017;33(1):12.

Mota JMS, Silva AM, Abrel TB, Castro MA, Silva MV, Carvalho-Freitas MN. Redução de ansiedade com grupo de diabéticos: interfaces físicas e psicológicas de uma intervenção. Revista Interinstitucional de Psicologia. 2016;9(2):312-23.

Medeiros EA, Maia RM, Cedro MO, Barbosa MLC, Correia RBF, Tavares PMB. A inserção da fonoaudiologia na estratégia saúde da família: vivências em sobral - CE. Revista de Políticas Públicas. 2009;8(2):7-15.


Submetido em:
02/04/2019

Aceito em:
14/10/2019

5f8d98b10e88258832cb4689 codas Articles

CoDAS

Share this page
Page Sections